quinta-feira, 14 de julho de 2011

A arte é educar

Ao pensar em um tema para o texto dessa semana, vários vieram em minha mente. Porém, dois me chamaram mais atenção: a pedagogia no âmbito hospitalar e a vocação de ser professor. Diante dessas opções, lembrei de um filme que minha professora passou em sala de aula no meu 2º ano do ensino médio. Ao assistir “Os escritores da liberdade” pela quinta vez, pude notar verdadeiramente o quão o esforço e a dedicação do professor são importantes para melhorar a vida dos seus alunos. E, após assistir o filme, decide comentar a história do mesmo e relacioná-lo com a nossa realidade.

O que é ser professor? Muitos irão responder que ser professor é ter um diploma universitário, é ter paciência com criança, chegar à sala de aula e passar todo o assunto dentro do programa escolar. Isso é certo? Não, para ser professor é necessário ter uma vocação. É necessário também possuir a vontade de querer ensinar, de querer passar para o outro o que aprendeu e aprender também, pois cada um tem a sua forma de ver o mundo, de ver os acontecimentos e tem a sua maneira de entender e compreender as coisas. O educador é aquele capaz de enxergar as diferentes culturas presentes em sala de aula e mesmo assim, não fazer distinção entre eles.

É essa a história do filme citado anteriormente. Baseado em fatos reais, o filme narra a história de Erin Gruwell. Uma professora que começa a lecionar em uma sala dividida entre etnia e gangues, onde a diferença prevalece. A partir da sua primeira experiência com a turma, a senhorita Erin passa a perceber que ela teria uma tarefa muito difícil: fazer com os alunos se interessassem pela matéria. Com muita dificuldade, Gruwell tenta despertar os interesses dos alunos com práticas pedagógicas que relacionassem algo da sua vida. A diretoria e todos os outros professores não apoiavam a iniciativa da professora, pois para eles, aquela classe estava perdida. Porém, ela não desiste dos seus alunos, procurando saber e se aproximar de cada um.

Tentar usar a educação como forma de melhorar a convivência entre brancos e negros é a melhor maneira de melhorar um país. Para ser dada uma boa educação é necessário uma vontade imensa por parte de diretores e professores. Sendo necessária também, a interação entre os dois e que não haja distinção de etnia ou classe social.

A nossa educação não é ruim, basta querer melhorar. Deixar de achar que professor é aquele que passa os conteúdos do programa no tempo certo. Professor é aquele que educa que ensina. Que vê as barreiras, os obstáculos e mesmo assim não desiste de lutar por uma escola. É aquele que incentiva a leitura e tenta mostrar que a educação pode juntar todos e que são iguais. Enfim, não queremos professores, mas sim educadores.

Anna Eloyna Nunes

2 comentários:

  1. eloolinda,parabéns mesmo,ta se superando =D

    ResponderExcluir
  2. ótima comparação com a da professora Gruwell.
    Quero ser como ela quando crescer! *--*

    ResponderExcluir