segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Um novo modo de cantar e tocar samba




              O samba nunca mais foi o mesmo depois da fusão da cultura americana combinada ao jazz dosado de um brasileiríssimo samba sincopado, surgia no final da década de 50 uns dos maiores movimentos da música popular brasileira: A BOSSA NOVA. Caracterizada por suas letras leves e descompromissadas ­­­­- contrastando com os sucessos de então - diferenciada na forma de cantar - junção do canto-falado ou do cantar baixinho, do texto bem pronunciado e do tom coloquial da narrativa musical - particularidade do estilo que permite até os dias de hoje reconhecemos qualquer música do gênero bossa nova.

 Nascida nos bairros cariocas, mas precisamente nos encontros de amigos músicos em apartamentos da zona sul, como o de Nara Leão, em Copacabana, onde o grupo se reunia para fazer e ouvir música. Foi apartir dessas reuniões que nasceu um novo modo de cantar e tocar samba, consagrando compositores como Billy Blanco, Carlos Lyra, Roberto Menescal entre outros.

 O movimento bossa nova ficou associado ao crescimento urbano da época impulsionado pela fase de desenvolvimento do presidente Juscelino Kubitschek, mas também por eternizar canções como: Chega de Saudade (Tom Jobim e Vinícius de Morais), Garota de Ipanema, Desafinado, Águas de Março, Corcovado, Eu sei que vou te amar, entre outras.

 Apesar de aplacada pela MPB, o fim da bossa nova não significou a extinção estética do estilo. O movimento foi uma grande referência para gerações posteriores de artistas, deixando um legado valioso na forma de jóias da música nacional e expansão da música brasileira no mercado norte americanos, além de fotografar o Rio de Janeiro em versos

Acompanhada de um Ritmo envolvente e de uma melodia simples, a bossa nova é uma das “facetas” que esse Brasil possui. Que marca a nossa identidade e nos embeleza lá fora. Transmitindo emoções através de letras e poesia através de canções. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário