Header Ads

Brasil

Será uma NOVA PARAÍBA? Tá tudo congelado

Pode até ser apenas "fogo de palha" ou estardalhaço para mostrar serviço, mas ao que parece as coisas começam bem no governo Ricardo. Será que teremos mesmo uma NOVA PARAÍBA? Faço votos que sim... Vamos dar tempo ao tempo, melhor dizendo, ao Mago.
Veja a matéria do Paraíba1:

Ricardo congela salários e anuncia horário integral no serviço público

Durante a solenidade de posse da nova equipe, o governador Ricardo Coutinho anunciou que assinou uma medida provisória que congela os salários dele, do vice-governador Rômulo Gouveia e ainda dos secretários. A cerimônia aconteceu no Teatro Paulo Pontes, no Espaço Cultural, em João Pessoa.

Com a decisão, ficam valendo os salários atuais e não os aprovados pela Assembléia Legislativo e divulgados no Diário Oficial do dia 1. Ele determinou ainda que o horário do serviço público será integral. Ou seja, os funcionários que antes trabalhavam apenas um turno agora terão carga horária de 40 horas semanais.

O congelamento dos salários deve valer até que os gastos atinjam os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal. Segundo Ricardo Coutinho, atualmente os gastos com os servidores estão em 55% e a meta é atingir 49%, o que é permitido por lei.
Ricardo reconheceu que o aumento é necessário, mas que no momento é inviável, já que o Governo não tem condições de pagar. “Tem de partir de nós o exemplo de reduzir os gastos”, explicou.
O Diário Oficial da última sexta-feira (31) trouxe a medida que aumenta em 27,92% os salários dos políticos paraibanos. O aumento começaria a vigorar em 1º de fevereiro, mas ficam suspensas pela medida provisória.
Confira os atuais salários e os novos aprovados, mas que não serão repassados para os cargos de governador, vice e secretários:
-Governador: de R$18.371,50 para R$23.500,82
-Vice-governador: de R$14.697,20 para R$18.800,66
-Secretários: de R$13.778,62 para R$17.625,61
-Secretários executivos: de R$7.830,00 para R$10.016,14
-Deputados estaduais: de R$20.042,00

Outras medidas
O governador assinou ainda um decreto que veta a criação de convênios entre os municípios e o Estado, para a criação de eventos.
Em relação aos contratos que estão em curso, o atual governador alertou que vai analisar todos e, caso seja identificado algum tipo de irregularidade ele será cancelado.
FONTE:

Nenhum comentário

slider

Tecnologia do Blogger.